Festival de Artistas de Rua, nascendo novos artistas nas crianças

De 1 a 8 de outubro, aconteceu em Porto Alegre, Novo Hamburgo e São Leopoldo, o III Festival de Artistas de Rua. Ficamos hospedados na Pandorga, uma ocupação cultural muito inspiradora, onde muitos dos artistas que iriam para o festival também ficariam hospedados. Como poderíamos perder esta oportunidade? Eu que tinha acabado de (re)começar nesta empreitada de arte de rua, estava tendo ali a resposta do universo para me alimentar de informação e de toda aquela troca. Digo recomeçar, porque para quem não sabe, no nosso antigo projeto, Família a Bordo, eu tocava e recitava poesia nas ruas, com o pai do Dimi. 

No domingo, dia 1, fomos para a abertura do festival em Novo Hamburgo, debaixo de muito calor e pudemos conferir algumas das apresentações, Dimi sempre na primeira fila e participando das atrações, interagindo com os artistas.  


Durante a semana participamos de todas as oficinas, na Casa de Cultura Mário Quintana. Uma jornada diária de 1 hora de caminhada até lá, o dia todo de oficinas, almoços improvisados, muita arte compartilhada, assimilada, aprendida, não só para mim, mas principalmente para Dimi e Layla, que começaram a criar seus próprios personagens

Foi uma semana muito rica para ambos, que conviveram com inúmeros artistas todo o tempo. Layla ganhou  bolas de malabares de um dos participantes e Dimi começou a praticar o bambolê. Nós três estamos montando juntos um número para as ruas, e acho que acabaremos nos tornando uma espécie de companhia de teatro familiar. Nossa intenção é continuar com o projeto Algures, que leva cultura por onde passa. :) 


No encerramento do festival, no Parque da Redenção, pudemos conferir excelentes espetáculos de rua, muito inspiradores. Para nós foi uma honra ter participado daquela troca tão brilhante. Para quem quiser conferir mais sobre o festival, recomendo a página deles no Facebook.

0 comentários:

Enviar um comentário