Vivendo em comunidade: aprendizado orgânico e participativo

No primeiro semestre deste ano, o projeto Kids on the Road ficou "aportado" em uma comunidade no Rio Grande do Sul. Chegamos ao local através da experiência de workexchange, que conhecemos e aprendemos durante nossa estada na Europa.



A experiência lá foi incrível. As crianças desenvolveram novas habilidades e puderam conviver com diferentes culturas, pois havia uma rotatividade de voluntários de vários lugares do mundo. Convivemos com pessoas do Chile, Argentina, França, Itália, brasileiros de várias regiões, e até mesmo um coreano.

Layla pôde praticar idiomas e aprendeu novas receitas na cozinha, descobrimos muito sobre plantas medicinais e plantas comestíveis não convencionais (PANCs). O aprendizado que ela teve na horta da comunidade fez com que ela decidisse que o dia em que tiver o seu restaurante, ela irá ter também a própria horta para poder oferecer alimentos orgânicos.

Para o Dimitri também foi uma experiência muito rica, ele aprendeu a comer melhor, desenvolveu o desapego de pequenas coisas, a dividir seus pertences com outras crianças. Ele teve acesso a vários instrumentos e conviveu com vários músicos, o que o ajudou a desenvolver seu gosto e as habilidades com a bateria.

Foi nessa comunidade que nós três (inclusive eu!) também aprendemos a andar de bicicleta. Lá também desenvolvemos outras habilidades como yoga, acrobacia, teatro, artes, música, pintura com terra, bioconstrução. Enfim, foram meses intensos e a certeza de que esse caminho é o que quero para os meus filhos. Eles estão muito felizes e realizados, e continuam se destacando como crianças muito desenvolvidas física e mentalmente para a idade deles. Ambos quase nunca ficam doentes e tem uma desenvoltura e maturidade bem diferente da maioria das crianças da mesma idade.

Viver em comunidade faz com que as crianças aprendam o principal: o compartilhar, o viver pelo bem comum e o se preocupar com o próximo, respeitando sempre o espaço e a vontade de cada um.

Abaixo, o vídeo de uma entrevista que dei enquanto estávamos nessa comunidade:

0 comentários:

Enviar um comentário