Um mês na Suíça para começar a experiência

O projeto Kids on the Road foi planejado para ser um projeto itinerante, a bordo de um motorhome, por dois motivos: independência e segurança. Entretanto, adquirir um motorhome não é tão simples, é algo caro e ainda não temos recursos para isso, por esse motivo buscamos ainda apoio/patrocínio para o mesmo. Mas tínhamos, tanto eu quanto as crianças, uma vontade muito grande de ir logo para a estrada e aplicar os conceitos de unschooling.

Dessa forma, saímos para uma nova experiência, sem o motorhome, mas com um desejo enorme de explorar novas possibilidades. Nosso primeiro destino seria a Suíça, país pelo qual nos apaixonamos desde a nossa primeira visita, no verão de 2015. Uma fazenda em um local bastante isolado, no cantão de Jura, nos receberia por cerca de dois meses. Partimos então, no dia 10 de fevereiro, para nossa primeira aventura a três. O brilho nos olhos das crianças, já no aeroporto de Lisboa, era de uma excitação contagiante. O primeiro desafio foi carregar nossas bagagens, basicamente a nossa casa nas costas, pois não tínhamos mais residência, o mundo era a nossa casa. Mas com força de vontade, com a cooperacão mútua e com apoio de uma das proprietárias da fazenda, que nos buscou na estação de trem com uma bicicleta de carga, conseguimos chegar até nosso destino sem maiores problemas.

Os primeiros dias no local foram mágicos. Dimi e Layla se apaixonaram pela neve, brincamos de escorregar, de guerra de bolas de neve e de fazer bonecos de neve. Caminhamos pela trilha da floresta ao redor. Dimi aprendeu a gostar de suco de maçã e bebia todos os dias o suco produzido na própria fazenda. Ambos se divertiam e aprendiam olhando as proprietárias cuidarem dos animais. E todas as tardes estudávamos juntos algumas matérias, fazíamos brincadeiras de lógica e eu ensinava o Dimi a ler e escrever. Mas, infelizmente, a adaptação por parte das proprietárias do local não foi como esperávamos. Elas tinham muita dificuldade de se comunicar conosco, porque não falavam inglês e nós ainda estávamos tentando aprender francês. Acabou que a nossa estadia lá ficou inviável e os dois meses foram reduzidos a apenas duas semanas.

Nos "mudamos" então para a casa de uma família que já viveu na Índia, numa parte mais alemã da Suíça, contato que fiz através de um site de workexchange. A família tinha dois meninos também em homeschooling, além de um bebê muito querido. E todos falavam inglês, o que me deixou bastante aliviada. Layla se divertiu todos os dias com os meninos e Dimi brincou bastante com os brinquedos de ambos. Pude ajudar nas tarefas de casa e no homeoffice da dona da casa e fiquei muito satisfeita de me sentir útil, pois na fazenda eu não tinha muito trabalho a fazer. Fizemos ótimas caminhadas nas florestas ao redor, aprendemos um pouco sobre a cultura indiana e fomos convidados a um dia visitar a Índia (Dimi, que adora conhecer outros países, logo gritou: "eu quero conhecer a Índia!"). Foram mais duas semanas de muito aprendizado e evolução para nós três. Evoluímos individualmente e como família. Layla pôde praticar muito o seu inglês com os meninos e foi interessante perceber como o Dimi, mesmo a princípio tendo alguma resistência a falar outros idiomas, quando precisava, falava em inglês. E também foi uma boa evolução no quesito alimentação para ele, que superou algumas frescuras e se adaptou a dieta praticamente vegana da família (com exceção do leite de vaca, que os meninos tomam e Dimi também não vive sem). É algo que a estrada realmente nos dá: o poder de adaptação.

Layla comemorou seu aniversário em um lugar especial, o primeiro local que fez nos apaixonarmos pela Suíça, também no cantão de Jura. E foi na Suíça, conversando com ela, minha companheira e protagonista do Kids on the Road, que decidimos que esse foi só um "esquenta" do projeto. Tivemos certeza que queremos sim fazê-lo, que podemos fazê-lo, mas que queremos fazê-lo com mais estrutura, que realmente precisamos do nosso motorhome, ou algo do tipo. Para termos a nossa independência e podermos explorar mais lugares, mais culturas. Ter uma casa sobre rodas, para não precisarmos carregar nossa casa nas costas. Combinamos então de dar um passo atrás, para depois darmos todos os passos à frente. Porque não desistiremos do sonho, e o Kids on The Road continua sendo o nosso projeto de vida!









3 comentários:

Kathy Michaels disse...

What a wonderful lifestyle!

Kathy Michaels disse...

What a wonderful lifestyle!

Grazi Calazans disse...

Thank you Kathy! Your lifestyle is a inspiration for us, as well!

Enviar um comentário