O que é ser uma boa mãe?

Quando eu soube que estava grávida da Layla eu era uma menina de 22 anos saindo de uma grande tempestade e a primeira coisa que passou pela minha cabeça foi que eu nunca mais estaria sozinha, que eu teria um serzinho para cuidar, uma pessoinha para quem eu poderia ensinar muitas coisas, e com quem eu iria aprender também, alguém com quem eu poderia compartilhar a minha forma de ver o mundo. Já se vão doze anos daquele momento e no meio do caminho eu tive outro serzinho especial, o Dimitri, outra pessoinha com quem eu poderia compartilhar os meus princípios e as minhas ideias de um mundo melhor. Hoje, aos 35, mãe dessas duas preciosidades, eu ainda me pergunto se fui e se sou uma boa mãe para eles. E acredito que quase todas as mães se fazem essa pergunta, pelo menos uma vez na vida. Mas o que será que é ser uma boa mãe?

Será que é colocar os filhos acima de tudo, abdicar de muitas coisas na vida pelo bem deles? É estar disponível 24 horas por dia, pensar em cada detalhe para que eles tenham uma vida boa e feliz? É fazer a comida preferia deles, dar os presentes que eles pedem, fazer as vontades, aproveitar o tempo (mesmo que seja curto) deixando que eles façam o que quiserem? Há tantos artigos hoje em dia em revistas especializadas, em sites, há tanta informação, tantas "dicas" e "regras" sobre o que fazer ou não fazer para ser uma mãe melhor e criar bem os filhos, dando amor mas impondo limites. Mas será que essa coisa de ser boa mãe, de deixar filhos melhores para o mundo, não é algo muito particular, algo que envolve uma centena de variáveis, conforme a cultura, o contexto e, principalmente, no que cada indivíduo acredita e almeja? O que é bom para os meus filhos, não necessariamente vai ser bom para os seus, e vice-versa, afinal cada criança tem a sua personalidade, a sua energia, e cabe a cada mãe respeitar e aprender a lidar com essas diferenças.

Acredito sim que há princípios que todas as mães devem passar aos seus filhos, como respeito, responsabilidade, solidariedade, honestidade e amor ao próximo, entretanto há muito mais pequenas coisas, pequenos detalhes que devem ser levados em consideração na relação com nossos filhos. Será que uma mãe que, além de ser mãe, busca por seus sonhos pessoais é menos boa do que a que coloca o futuro ou a felicidade dos filhos como única meta?  Será que ser boa mãe significa apenas seguir um padrão imposto pela sociedade? Penso que mais importante que seguir determinadas convenções, é seguir o coração e fazer o que acreditamos ser o melhor para nós e para eles. É muito fácil julgarmos se aquela nossa amiga tem um comportamento adequado ou não com os filhos, se as atitudes dela são ou não atitudes de uma boa mãe, mas ninguém sabe o momento pelo qual ela está passando, ninguém sabe o que ela já enfrentou ou enfrenta tentando ser uma boa mãe, e que uma ação errada, não significa que ela seja uma mãe ruim.

Muitas mães (e também pais) podem discordar de mim, mas acho que temos sim que buscar a nossa felicidade, buscar estarmos bem em primeiro lugar, para então podermos passar a felicidade aos nossos filhos, pois se não estivermos bem conosco, como poderemos ser boas para eles? O que adianta ser uma boa mãe, doar-se a 100% aos filhos e depois deles criados, percebermos que não fomos nada além deles? Que quando eles forem seguir suas vidas, não nos sobrou nada, porque nos colocamos sempre em segundo ou terceiro plano e abdicamos dos nossos sonhos? Para mim, ser uma boa mãe é mostrar a eles os vários caminhos da vida, é tentar fazer melhor todos os dias e ser transparente, deixando claro que, assim como eles, eu também erro, já que aqui não há ninguém a ensinar nem ninguém a ser ensinado, pois cada um de nós está a aprender.

Acho uma responsabilidade muito grande transferirmos a nossa infelicidade para nossos filhos, com aquelas velhas desculpas "ah mas não faço isso ou aquilo por causa das crianças, tenho que pensar nelas primeiro". Podemos sim fazer os dois, respeitando a nós mesmas e a eles, sabendo que podemos falhar em muitos momentos, pois antes de ser mães somos humanas, mas com muito amor tudo é possível


0 comentários:

Enviar um comentário